Seguidores

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

A FORMIGUINHA E O FLOQUINHO DE NEVE


Certa manhã de inverno, uma formiguinha imprudente afastou-se do formigueiro pelo meio da neve e nela prendeu seu pezinho. Aflita, começou a pedir ajuda com a voz chorosa e cheia de auto-piedade, esquecida de sua imprudência inicial:

- Oh, Sol, tu que és tão forte, derrete a neve e desprende meu pezinho…

E o Sol, indiferente nas alturas, falou:

- Mais forte do que eu é o muro que me tapa!

Olhando então para o muro, a formiguinha pediu:

- Oh, muro, tu que és tão forte, que tapas o Sol, que derrete a neve, desprende meu pezinho…

E o muro que nada vê e muito pouco fala respondeu apenas:

- Mais forte do que eu é o rato que me rói!

Voltando-se então para um ratinho que passava apressado, a formiguinha suplicou:

- Oh, rato, tu que és tão forte, que róis o muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprende meu pezinho…

Mas o rato, que também ia fugindo do frio, gritou de longe:

- Mais forte do que eu é o gato que me come!

Já cansada, a formiguinha pediu ao gato:

- Oh, gato, tu que és tão forte, que comes o rato, que rói o muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprende meu pezinho…

E o gato, sempre preguiçoso, disse bocejando:

- Mais forte do que eu é o cão que me persegue!

Aflita e chorosa, a pobre formiguinha pediu ao cão:

- Oh, cão, tu que és tão forte, que persegues o gato, que come o rato, que rói o muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprende meu pezinho…

E o cão, que ia correndo atrás de uma raposa, respondeu sem parar:

- Mais forte do que eu é o homem que me bate!

Já quase sem forças, sentindo o coração gelado de frio, a formiguinha implorou ao homem:

- Oh, homem, tu que és tão forte, que bates no cão, que persegue o gato, que come o rato, que rói o muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprende meu pezinho…

E o homem, respondeu apenas:

- Mais forte do que eu é o Deus que te Criou!

Quase morrendo, a formiguinha rezou baixinho:

- Meu Deus, tu que és tão forte, que governas a morte, que mata o homem, que bate no cão, que persegue o gato, que come o rato, que rói o muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprende meu pezinho…

E Deus, então, por AMOR a formiguinha , fez girar mais depressa o tempo e em dois minutos fez-se a primavera e no campo agora coberto de flores multicores estava derretida toda a neve , o frio, toda a prisão.

A formiguinha, porem, não arredou o pé de onde estava até chegar o inverno seguinte, quando um outro floco de neve prendeu o

Pé que ela nunca tinha libertado.

Um comentário:

  1. Ah, Cristiane, vc me fez voltar no tempo. Esta era uma das histórias preferidas de meus filhos. lembro-me que ficavam ansiosos pelo final quando finalmente a formiguinha soltava seu pezinho da neve com a ajuda de Deus. Nada foi forte o suficiente para livrar a formiguinha. A ajuda veio de Deus que a todos socorre. Obrigada por me proporcionar esse momento de boas lembranças. Hj já crescidos, conto a mesma história à minhas netas...

    ResponderExcluir

"Que a estrada se abra à sua frente,
Que o vento sopre levemente em suas costas,
Que o sol brilhe morno e suave em sua face,
Que a chuva caia de mansinho em seus campos,
E, até que nos encontremos, de novo...
Que Deus lhe guarde nas palmas de suas mãos!"

OBRIGADA POR DEIXAR SEU COMENTÁRIO!