Seguidores

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Sacramentos


Sacramento é um sinal sensível, instituído por Jesus Cristo, para nos conferir a graça.

No sinal sensível, distinguem-se a matéria e a forma. A primeira pode consistir num objeto (água, óleo, pão) ou num ato (imposição das mãos, etc); e a segunda, a forma, são as palavras que, juntas à matéria, constituem o sacramento, formam um só sinal – com a significação e efeito próprios.

A forma determina o sentido da matéria. Derramar água na cabeça de uma criança poderia ser para lavá-la fisicamente, mas as palavras usadas no Batismo dão a este ato a significação espiritual.

A matéria dos sacramentos é relacionada com o efeito: no Batismo (pela água) nos lavamos (do pecado original); na Eucaristia (pelo pão) nos alimentamos (espiritualmente), e assim por diante.

Um sacramento bem administrado (com matéria e forma certas e juntas) produz o efeito próprio, independentemente do valor de quem o administra – porque é o próprio Deus quem age por meio dele. A virtude dos sacramentos vem dos méritos de Jesus Cristo e não da pessoa que os executa.

Os sacramentos são sete – e relacionam-se com toda a nossa vida.

Há uma perfeita comparação entre a vida natural e a sobrenatural:

- O homem nasce

O Batismo o faz nascer para a graça;

- O homem cresce e fortifica-se

A Crisma tem essa função no plano espiritual;

- O homem alimenta-se

A Eucaristia é o Pão da Vida, o alimento da alma;

- O homem cura-se

A penitência é o remédio para a chaga espiritual, o pecado;

- O homem na enfermidade e velhice, refaz-se

A Unção dos enfermos alivia, consola e prepara para a morte;

- O homem vive em sociedade, sob uma autoridade hierárquica

A Ordem perpetua o ministério sacerdotal;

- O homem propaga a espécie

Esta é a função do Matrimônio.

Todos os sacramentos nos dão a Graça Santificante.

Mas uns levam a alma ao Estado de Graça, tirando-a do pecado: levam a alma da morte para a vida – por isso são chamados: sacramentos de mortos. Estes são o Batismo e a Penitência – e a graça que conferem se chama graça primeira.

Os demais também produzem também a graça santificante, mas só podem ser recebidos por quem já está em estado de graça, chamando-se, por isso, de sacramentos de vivos. A graça que conferem, é um aumento da já existente na alma, é chamada graça segunda.

Além disso, cada sacramento produz uma graça própria – a graça sacramental, isto é, um direito às graças atuais necessárias para cumprir as obrigações impostas pelo sacramento. No Batismo, por exemplo, recebe-se além da graça primeira, recebe-se as graças atuais necessárias para se viver cristãmente.

Existem três sacramentos que marcam definitivamente a alma que os recebe (e, por isso, são recebidos uma só vez). Eles imprimem, na alma, um sinal espiritual que jamais se apaga. São o Batismo, a Crisma e a Ordem. Um padre, por exemplo, pode ser dispensado de suas obrigações sacerdotais, porém, jamais deixará de ser padre. Viverá, talvez, desordenadamente, mas o sacramento da ordem o acompanhará à eternidade.

E, já que essa marca se chama caráter (caráter = marca de Jesus Cristo na alma), o cristão, simplesmente batizado e, mais ainda, o crismado e, com mais forte motivo, o ordenado, deve distinguir-se pelo caráter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Que a estrada se abra à sua frente,
Que o vento sopre levemente em suas costas,
Que o sol brilhe morno e suave em sua face,
Que a chuva caia de mansinho em seus campos,
E, até que nos encontremos, de novo...
Que Deus lhe guarde nas palmas de suas mãos!"

OBRIGADA POR DEIXAR SEU COMENTÁRIO!