Seguidores

sexta-feira, 15 de junho de 2012

ETERNIZAR-SE OU AFUNDAR-SE


Um monge estava lavando pratos. O anjo aparece sorrindo e lhe diz: “Estou chamando-o para a eternidade. Chegou a hora”. O monge se explicou e pediu que esperasse um pouco porque tinha que acabar de lavar os pratos, senão teria que deixar o trabalho para os outros e estaria faltando para com a caridade. E o anjo foi embora.

E o monge estava cuidando do jardim. Plantando flores e limpando as pestes. E o anjo lhe aparece sorrindo e o convida:

“Chegou seu momento de partir para a eternidade”. E o monge se explicou dizendo:

“Tudo bem, mas espere um pouco, senão tenho que deixar este trabalho para meus frades e eles estão ocupados com seu trabalho”. E o anjo foi embora.

E o monge estava cuidando de um doente. Passaram-se anos, o monge nem lembrava mais do anjo, e um dia novamente lhe aparece o anjo sorridente, convidando para a eternidade.

E o monge falou: “Espere um pouco, estou cuidando deste doente, e no momento todos os meus companheiros estão ocupados e não posso abandonar este velhinho enfermo”. E o anjo sorrindo foi embora.

E o monge estava velhinho e doente. E assim doente lembrou-se do anjo e pensou: “Por que este anjo amigo não vem agora que nada mais posso fazer? Agora sim posso partir para a eternidade”.

Neste momento lhe aparece o anjo sorrindo e dizendo:

Meu monge, você não precisa mais pedir para entrar na eternidade. Desde a primeira vez que o visitei, você está na eternidade, porque tudo você fez com amor e por amor aos irmãos. Cada vez que você amou seu irmão estava se eternizando”.

Quem ama se eterniza. Quem vive voltado para o bem do outro, para a caridade, para a solidariedade, para o serviço já está se eternizando.

Wilson João

Um comentário:

  1. Olá, Cristiane.
    Parabéns! Uma história que inspira reflexão e nos mostra a importância do amor como centro de nossas atitudes. Seu cantinho está sempre evangelizando com muita sabedoria e luz.
    Que Deus a abençoe e a fortaleça em sua caminhada.
    Abraços fraternos,
    Angela

    ResponderExcluir

"Que a estrada se abra à sua frente,
Que o vento sopre levemente em suas costas,
Que o sol brilhe morno e suave em sua face,
Que a chuva caia de mansinho em seus campos,
E, até que nos encontremos, de novo...
Que Deus lhe guarde nas palmas de suas mãos!"

OBRIGADA POR DEIXAR SEU COMENTÁRIO!