Seguidores

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

DINÂMICAS SOBRE OS DEZ MANDAMENTOS


A Bíblia nos conta que, por muito tempo, o povo andou pelo deserto.

Foi uma experiência de libertação e, ao mesmo tempo, de purificação e de esvaziamento para se deixar penetrar pelo Deus verdadeiro.

Caminhando junto, o povo experimenta a fome, a sede, a insegurança, as disputas, as dúvidas.

Ele precisa caminhar com criatividade, encontrando as soluções para os problemas e desafios.

As soluções são encontradas na construção conjunta de normas de convivência para nunca mais voltar a viver a escravidão.

O sonho impulsiona a caminhada. É possível viver uma nova realidade, fruto da esperança, da alegria, da fé, da memória e da força de levantar-se para recomeçar.

O sonho de Deus estava fortemente marcado no coração deste povo: caminhar na liberdade, como Javé é livre e liberta.

Nos longos 40 anos passados no deserto, o povo fez um longo aprendizado. Foi uma catequese sistemática, não baseada em livros, mas no cotidiano, na convivência.

E assim pudera transmitir às gerações que é possível viver numa sociedade onde há possibilidade de se ter dignidade e condições de participação e partilha.

Não podemos pensar que os mandamentos surgiram de forma mágica, onde Moisés recebe as Tábuas da Lei das mãos de Deus. O sentido é que, para o povo, tudo o que gera vida tem a aprovação divina.

O gerar a vida tem duas vias: aquela do Deus fiel, comprometido com seu povo, que liberta, protege, está presente sempre. A outra via parte da resposta que este povo dá a seu Deus através do cumprimento da lei. Sem cumprir as condições colocadas por Deus não há paz, justiça, igualdade.

Os mandamentos são vistos pelo povo como orientações que Deus dá para chegar à verdadeira fraternidade.

1.ª DINÂMICA

a) Motivando a reflexão e o aprofundamento de cada mandamento, pode-se escrever os 10(9) mandamentos separadamente e colocá-los em 10 ou(9) caixinhas ou pequenos frascos e deixá-los no centro da sala. Pede-se para dez participantes pegarem cada qual uma caixinha.

b) Se forem mais de 10 participantes, podem agrupar-se aos que tem uma caixinha.

c) As perguntas a serem refletidas:

1 - A mensagem de Deus que recebemos?
2 - Ela é importante? Por quê?
3 - Como podemos viver este mandamento?

d) Retomando os mandamentos nas caixinhas, pode-se fazer um rodízio.
e) Os mandamentos podem ser adaptados:

1- Amar a Deus, o Deus que quer vida para todos.
2 - O nome de Deus não pode ser usado de modo falso, justificando o que não presta.
3 - O domingo deve ser consagrado a Deus e aproveitado para o descanso e a convivência.
4 - Respeitar o pai e a mãe e também os idosos, porque só assim a vida será prolongada.
5 - A vida é o maior dom de Deus e só Deus é o Senhor da vida, portanto, não matar.
6 - Respeitar-se mutuamente homem e mulher, pois o corpo é obra de Deus.
7 - Partilhar os bens e os dons para poder viver numa sociedade justa e solidária, portanto, não roubar.
8 - Falar a verdade, pois ela é à base da confiança.
9 e 10 - Respeitar os direitos dos outros, isto é, não ter ganância, nem inveja e muito menos explorar os outros.

2.ª DINÂMICA

- Aproveitar o canto do Pe. Zezinho:

Os Dez Mandamentos (As verdades que eu rezo e canto).
Os mandamentos que ao todo são dez, são caminhos de libertação. /O povo hebreu os herdou de Moisés/ e hoje são normas do povo cristão. (refrão)

1.º Amarás o Senhor, teu Deus/ com todas as forças do teu querer,/ com todas as veras do teu saber,/ com todas as fibras do teu sentir/ se desejas viver.
2.º Amarás o Senhor, teu Deus,/ e nunca dirás seu nome em vão/ e não jurarás por qualquer razão/ e não brincarás com o nome de Deus,/ se pretendes ser bom.
3.º Amarás o Senhor, teu Deus,/ e reservarás um dia especial/ no qual tu farás a grande oração/ ao lado de outros que são teus irmãos./ Falarás com o teu Pai.
4.º Amarás ao Senhor, teu Deus,/ com toda a ternura de teu coração/ com toda a firmeza da educação./ Conserva o respeito que tens por teus pais,/ se pretendes ter paz.
5.º Amarás ao Senhor, teu Deus,/ não matarás, nem devastarás,/ guardando respeito por qualquer ser/ que a vida é um dom para se proteger,/ se não queres morrer.
6.º Amarás o Senhor, teu Deus,/ buscando a certeza da salvação./ Respeita o direito dos teus irmãos/ guardando a pureza do teu coração,/ sem cair na paixão.
7.º Amarás o Senhor, teu Deus,/ e não tocarás no que não é teu/ mas não pisarás nos pobres de Deus/ e não furtarás e nem esbanjarás,/ e ladrão não serás.
8.º Amarás o Senhor, teu Deus,/ e sempre dirás aquilo que é/ e não mentirás, mantendo de pé a grande verdade do teu próprio eu,/ se acreditas em Deus.
9.º Amarás o Senhor, teu Deus,/ não cobiçarás quem se comprometeu/ com qualquer dos irmãos, ou mesmo com Deus./ E não tentarás possuir este alguém/ que direito não tens.
10.º Amarás o Senhor, teu Deus,/ não cobiçarás os bens de um irmão./ Não invejarás, no teu coração/ aquilo que o outro ganhou com suor./ Tu também tens valor.

Com jovens, adolescentes e crianças:

a) Fazer uma exposição de desenhos com o tema: os dez mandamentos.
b) Cada grupo ganha uma estrofe e faz uma colagem com recortes.
c) Montar um painel com figuras, colocando por escrito cada estrofe.
d) Como vamos viver este mandamento? Colocar sugestões de propostas em forma de frases, poesias, poemas, cantos...
e) Montar uma exposição feita em argila, com o tema “Os mandamentos vividos hoje”.

3.ª DINÂMICA

Questionar:

a) Como Deus nos falaria hoje, através dos mandamentos?
b) Fazer um debate entre dois grupos utilizando a re-leitura abaixo.
c) Encenar: Como nossa sociedade mata Deus e mata o ser humano? Como nossa sociedade pode vivenciar o Deus verdadeiro e como pode recriar uma sociedade que gere vida para todos?

1 - Amar a Deus acima de tudo. Não aceitar outro Deus, que não seja aquele revelado por Jesus, que é o Deus Trinitário, comunitário, misericordioso... Rejeitar os deuses criados pela sociedade, que só enganam e matam: dinheiro, poder, dominação, prazer por prazer, lucro, acúmulo de capital, luxo...

2 - Respeitar o nome de Deus. Usar o nome de Deus só para promover a vida e defender a justiça. Não usar o nome de Deus para tornar-se importante e famoso, pisando sobre os fracos e explorando os trabalhadores.

3 - Santificar o dia do Senhor: Respeitar o domingo celebrando a memória e o amor do Senhor. É o dia de descanso, festa, lazer, de convivência familiar e encontro comunitário da fé. Recomenda-nos que o descanso é um direito do trabalhador e que precisamos colaborar na obra da criação com criatividade.

4 - Respeitar-se mutuamente Pai, mãe e filhos. Ter compreensão e carinho para com os mais idosos. Possibilitar uma convivência de perdão, afeto,acolhida e de fidelidade entre esposos.

5 - Lutar pela vida: a vida é o dom maior de Deus. A exigência deste mandamento é que não haja ameaças à vida: fome, aborto, violência, injustiças, drogas, dependência de dívidas, pena de morte, doenças... Promover a vida, também da natureza, preservando-a e cuidando dela. Este mandamento é a centralidade dos demais, pois Deus mesmo quer o ser humano vivo e feliz.

6 - Respeitar a dignidade humana: O ser humano é formado de um corpo bonito, um verdadeiro dom de Deus. É com ele que o ser humano expressa o amor e a sexualidade. Esta é sagrada e é fonte de vida. Portanto, é necessário respeito mútuo entre homens e mulheres.
O amor expresso de uns para com os outros é um grande presente de Deus. É preciso viver este amor como força criadora para lutar contra a exploração da mulher, de crianças... E ainda, contra a prostituição, as drogas, a pornografia, a embriaguez, a opressão, o excesso de horas de trabalho. É preciso ainda combater o machismo, o racismo e muitas formas de discriminação.

7 - Partilhar os dons e os bens: isto é, não acumular, porque todos necessitam ter direitos e oportunidades para possuir uma vida digna para bem viver.
Colocar o que se possui para que todos tenham vida. O roubo, a corrupção, o acúmulo de bens materiais é contra o espírito de nosso Deus, porque gera a morte de tantos irmãos.

8 - Falar a verdade: Isto significa ser honesto, evitando a calúnia, a fofoca, a mentira, a falsidade, manipulação, juramento falso, impunidade diante da injustiça. Tudo isto gera desconfiança e afasta-se o bonito da vida que é um relacionamento de amizade.

9 e 10 - Respeitar os direitos dos outros. Proíbe qualquer forma de cobiça, ou ainda, qualquer esperteza e trama para se apoderar do que pertence a outros.

Trata, portanto, de respeitar os direitos dos outros: direito à vida, salário decente, trabalho, participação política, à defesa...

Motiva-nos também a combater privilégios que alguns podem ter, como: terras, bancos, dinheiro... enquanto uma maioria passa fome.

Os mandamentos, para o povo de Israel, foram marcas talhadas na mente e no coração que perpassaram gerações.
A libertação e o decálogo são fontes de memória e também de alento para a caminhada.

Dt 6,6 diz o seguinte, se referindo aos mandamentos: “Que estas palavras, que hoje eu lhe ordeno, estejam em seu coração. Você as inculcará em seus filhos e delas falará sentado em sua casa e andando em seu caminho, estando deitado e de pé”.

Dt 6, 24 nos ajuda a entender que o povo da Antiga Aliança ligava o sentido do crescimento da vida com a observância do decálogo:
“Javé, então, nos ordenou cumprir todos esses estatutos, para que sempre tudo nos corra bem e para nos dar a vida, como hoje se vê”.

Ir. Marlene Bertoldi

2 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa do blog!!! Amei as atividades e nos ajuda muito. Que Deus, Nosso Senhor continue te abençoando e que vc seja muito feliz com sua família!

    ResponderExcluir
  2. parabéns !!! adorei esse blog

    ResponderExcluir

"Que a estrada se abra à sua frente,
Que o vento sopre levemente em suas costas,
Que o sol brilhe morno e suave em sua face,
Que a chuva caia de mansinho em seus campos,
E, até que nos encontremos, de novo...
Que Deus lhe guarde nas palmas de suas mãos!"

OBRIGADA POR DEIXAR SEU COMENTÁRIO!